Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Minas Gerais - Parte 4

 Dia 27/10 (terça) - Hoje fomos pela parte da manhã em Mariana. Essa é uma cidade próxima de Ouro Preto, mais uma cidade histórica de Minas. Foi a primeira vila, cidade e capital do estado de Minas Gerais, no século XVII uma das maiores cidades produtoras de ouro para a coroa Portuguesa. Tornou-se a primeira capital a participar de uma disputa onde a Vila que arrecadasse maior quantidade de ouro seria elevada a Cidade sendo a capital da então Capitania. Foram uns 30 minutos de carro e chegamos, lá contratamos um guia credenciado para nos explicar um pouco sobre o lugar.


Essa é a Catedral da Sé (Catedral Basílica Nossa Senhora da Assunção)Em 1753, a catedral recebeu recebeu de presente do rei D. José I o Órgão Arp Schnitger, construído em Hamburgo na primeira década do século XVIII. É considerado o único dos órgãos da manufatura Schnitger que sobreviveram até os dias atuais que se encontra fora da Europa. A varanda em que se localiza o órgão foi executada por Manuel Francisco Lisboa, que também conduziu os trabalhos de assentamento do órgão na catedral. (Fonte: https://pt.wikipedia.org/wiki/Catedral_Bas%C3%ADlica_Nossa_Senhora_da_Assun%C3%A7%C3%A3o_(Mariana)


Bom as igrejas seguem as mesmas histórias que as cidades históricas como Ouro Preto, Tiradentes, São João Del Rei...Elas eram criadas para diversas classes sociais: para comerciantes, outra para mineradores, outra para escravos e assim por diante. Como os nomes também se repetiam: Igreja São Francisco de Assis, Igreja Nossa Senhora da Conceição, Igreja Nossa Senhora do Pilar....

Lado esquerdo a Igreja São Francisco de Assis e direita Igreja Nossa Senhora do Carmo (ocorreu um incêndio em 1999 o qual passou por grandes recuperações até ser totalmente reformada e aberta ao público após alguns anos).





Igreja Nossa Senhora do Carmo - Acho que foi a única igreja que foi liberado fotografar por dentro!



Casa de Câmara e Cadeia - Essa praça Minas Gerais, em Mariana, era a única que possuía em um único ambiente a igreja de comerciantes, a igreja dos mineiros, a Casa de Câmara e Cadeira e na frente a praça de julgamento.



Depois afastamos um pouco do centro 9km e fomos para Gruta da Lapa Antônio Pereira Transmutado para o Brasil, encontra na Lapa de Antônio Pereira a lenda do filho de um tropeiro que, ao perseguir um coelho branco que fugira até a gruta, depara com a aparição de uma imagem de mulher muito bonita, com a cabeça cercada de luz, de pé sobre uma bola com uma serpente enrolada e a boca aberta. Logo após o relato, outras crianças afirmaram ter visto imagem semelhante no local.
Os frades franciscanos, cujo seminário ainda hoje mostra suas ruínas na rua principal do distrito, pontificaram: tratava-se de Nossa Senhora da Conceição da Lapa, que aparecera para pedir a construção de uma capela dentro da gruta.
Isso foi logo providenciado, juntamente com a aquisição de uma imagem de madeira em sua homenagem, datada do século XVIII. Seguidas tentativas de roubo fizeram os nativos de Antônio Pereira se decidirem por guardá-la em suas próprias casas, endereço provavelmente itinerante e sempre mantido em segredo. No altar da Gruta hoje reina uma cópia de resina pintada. (Fonte: http://www.coracaodejesusmariana.com.br/especial/historia_conteudo_gruta.html)



 Depois lá perto passamos por um setor de garimpo. Conversamos com alguns e ficamos sabendo como é o processo, suas vidas....um momento para refletir.


Esse é o famoso Topázio Imperial


E esses são as pedras lapidadas


 Última passada foi na Igreja de São PedroFoi construída pela Irmandade de São Pedro dos Clérigos, composta de padres seculares. Sua Construção teve início em 1752, mas ficou abandonada por 180 anos. As torres foram construidas por cem anos porque caíram 3 vezes...conta a lenda: 

" Os moradores da cidade acreditavam que os escravos, ao subirem as escadas para a construção das torres, viam, de cima, a cidade de Mariana tomada por um “rio de sangue”, pois o pátio da igreja era usado como local de forca para escravos rebeldes. Por desespero, conta a lenda que eles se atiravam lá de cima, causando a própria morte."


 Fomos almoçar na Locadora Vídeo Place - Choperia Restaurante indicado pelo guia. Gente, adoramos...muito bom mesmo!!! Antes de voltar para Ouro Preto fomos visitar uma mina. Por lá tem um monte mas fomos na Mina de Passagem. O Preço para visitar é um pouco salgado, até porque a mina é particular, iniciou em 1719, está apenas desativada desde 1985, maior do mundo aberta ao público.
Curiosidade: 35 toneladas de ouro foram retiradas do local.



O passeio é uma aventura, é explorada através de um trole que percorre 315 metros de trilhos até chegar a 120 metros de profundidade, descemos com monitores que contam a história e curiosidades da mina. Lá embaixo tem vários salões, túneis e um lago de águas cristalinas (há escola de mergulho). No final os monitores fazem uma apresentação de como é o funcionamento de extração do ouro da forma simples. Seguem algumas fotos.




 Opa, hoje o dia foi intenso, voltamos para Ouro Preto, no caminho passamos pela Casa da Ópera - Teatro Municipal 


A casa da ópera de Vila Rica, hoje Teatro Municipal de Ouro Preto, é o mais antigo teatro em funcionamento das Américas. Foi construído em 1769 po João de Souza Lisboa e inaugurado em 6 de junho de 1770, o aniversário do Rei Don José I.


Com fachada singular, possui espessas paredes de pedra e frontão triangular detalhado por elementos simbólicos esculpidos em pedra. O hall de entrada prepara o visitante para a surpresa do magnífico espaço interno. Três pisos distintos, nos quais se distribuem platéia, camarotes, frisas e galerias, totalizam 300 lugares. O piso de entrada dá acesso ao nobre camarote, com sofá e cadeiras austríacas, outros camarotes e escadas helicoidais em madeira que levam à galeria no último piso. Escadas laterais de pedra levam ao primeiro piso, onde está platéia e frisas. No porão, existem ainda camarins e sala de recepção para artistas e técnicos. Estruturas trabalhadas em ferro, pinturas descobertas em restauração recente e pequenas adaptações são intervenções posteriores à época de construção que não representam alteração significativa no espaço original.



lanchamos no Parada do Conde - apesar do crepe ser gostoso eu não gostei do atendimento, a atendente esqueceu da gente...nosso pedido já estava pronto um tempão e ela não tinha ido buscar na cozinha :( depois que falamos com ela (que o pedido estava demorando demais), ela se tocou e foi buscar...aff.

0 comentários:

By Iâni Naíra